MMTGapnet
Europa África do Sul América do Norte América Central & Caribe América do Sul Nacional
Acompanhe:
Categorias
  • Destino x Destino
  • Dvida do Viajante
  • Raio x dos Passeios
  • Roteiro Perfeito em
  • Dicas de Concierge
Dúvida do viajante: o que preciso saber antes de cruzar a fronteira entre Foz do Iguaçu e o Paraguai para fazer compras?
mar/13
11
Compartilhe
  • Enviar para um Amigo
  • Imprimir

Ciudad del Este, no Paraguai, é uma das principais zonas livres de impostos das Américas – ou seja, paraíso das compras.  E o melhor: fica só a 16 km do centro de Foz do Iguaçu, na tríplice fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina, e separada do Brasil pela Ponte da Amizade.

Nos anos 1980 e 1990, o Paraguai era o destino mais óbvio para bra
sileiros que queriam comprar brinquedos e eletroeletrônicos. Na última década, com o crescimento vertiginoso do turismo de compras em Miami e Orlando, a concorrência ficou acirrada. Ciudad del Este precisou se modernizar para continuar atraindo turistas. Dá para ver que o plano teve sucesso em lojas de departamento legais como a Monalisa e a Sax, e em shoppings como o Del Este.

Mas quais são as dicas de ouro para se dar bem em um bate-e-volta de compras entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este? Selecionamos 7 delas.

1.      Que documentos preciso levar?

Para cruzar a Ponte da Amizade em vans de passeios, é possível levar apenas a carteira de identidade (RG), como ao entrar em qualquer outro país do Mercosul. Atenção: a carteira de motorista não é válida para cruzar a fronteira. Passaporte não é necessário.


2.     
Qual o valor máximo que posso comprar sem pagar impostos?

O governo brasileiro permite uma cota de isenção de US$ 300 em compras para quem atravessa a fronteira por via terrestre. Isso significa que, comprando mercadorias que, somadas, não ultrapassem esse valor, você não precisa declarar nada (isto é, não precisa preencher o documento chamado Declaração de Bagagem Assistida).  Ainda assim, é importante guardar as notas fiscais de todos os produtos para apresentar na alfândega, caso seja necessário.

Quem comprar mais e anotar os valores na Declaração de Bagagem Assistida, vai pagar 50% de imposto sobre o valor excedido. Ou seja, se gastou US$ 400, paga imposto de 50% sobre os US$ 100 que ultrapassam o limite.

Quem comprar mais e não declarar nada poderá pagar multa de 100% de imposto sobre o valor excedido, caso seja flagrado pelos fiscais da Receita Federal brasileira.

3.      Há limite para quantidade de itens?

Sim, há um limite para compras de produtos repetidos. Por exemplo, você não pode carregar mais de 12 litros de bebidas alcoólicas, nem mais de 10 maços de cigarros com 20 unidades cada. Nem mais de 25 charutos ou cigarrilhas, nem mais de 250 gramas de fumo.

Para produtos baratinhos, também há volume máximo determinado: você pode comprar até 20 produtos similares de até US$ 5 cada, desde que não mais que 10 sejam idênticos. Para produtos mais caros, o limite é de 10 unidades, desde que mais de 3 não sejam idênticos. Ou seja: você pode comprar 10 cremes hidratantes da mesma marca e linha, com até 3 deles do mesmo perfume – os demais terão que variar.

Se você ultrapassar os limites, a Receita Federal pode entender que se trata de importação comum (e não compras para uso pessoal), aplicar os devidos impostos e ainda uma multa de 20% sobre o valor dos impostos.

 

4.      Quais são os postos da Receita Federal por onde vou passar?

São dois. Um fica na própria Ponte da Amizade, na fronteira. O outro é o posto da alfândega do aeroporto de Foz do Iguaçu – caso você saia de lá pela via aérea. Nos dois casos, vale a cota de US$ 300 de compras livres de taxação (pois a fronteira você terá cruzado por via terrestre).

5.      Os produtos são mesmo mais baratos?

Ciudad del Este é uma das maiores zonas livres de impostos do mundo. Por isso, sim, as mercadorias são mais baratas lá em comparação ao Brasil. Eletrônicos, cosméticos, até roupas de grife são os artigos que podem oferecer maior vantagem.

Agora, se você também tem uma viagem planejada para os Estados Unidos, vale pesquisar antes, pela internet, os preços do que quer comprar. Artigos como computadores, câmeras e outros eletroeletrônicos podem sair mais em conta em grandes lojas americanas, como a Best Buy, do que no Paraguai.

6.      Que moeda levar?

Os comerciantes aceitam guaranis (a moeda local), dólares e reais. Mas os preços são marcados, normalmente, em dólares. Portanto, é mais garantido comprar dólares no Brasil ou em casas de câmbio de Foz ou Ciudad del Este, e gastar nessa moeda, se não quiser ficar se preocupando em avaliar as taxas de conversão de cada lojista para valorar os reais.

Para quem quer comprar com cartão de crédito, as lojas costumam cobrar uma taxa extra. Faça as contas para se certificar de que o negócio vale a pena, porque, além da taxa, você estará pagando na sua fatura também o IOF de 6,38% (imposto cobrado pelo governo brasileiro para compras com cartão de crédito no exterior).

7.      Quais as melhores lojas?

Depende do que você procura. O Shopping Del Este e o Nave Shop vendem de tudo. A loja de departamentos S.A.X. é enorme, tem produtos de grife e é superespecializada em óculos de sol. Para maquiagens, são indicadas a Monalisa e a Elegância Tower. Em eletrônicos, prefira o Galeria Lai Lai, Casa Americana e Mega Eletrônicos. Evite comprar de camelôs na rua e de lojas em galerias, em que não se emite nota fiscal nem se testa o produto antes da compra.

Consulte seu agente de viagens e peça pelos pacotes da MMTGapnet.
Comentários Facebook
Comentários Wordpress
6 respostas a Dúvida do viajante: o que preciso saber antes de cruzar a fronteira entre Foz do Iguaçu e o Paraguai para fazer compras?
  1. Fernanda disse:

    Tenho uma dúvida. E se eu comprar um celular q ultrapasse esse valor irei pagar a taxação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com