MMTGapnet
Europa África do Sul América do Norte América Central & Caribe América do Sul Nacional
Acompanhe:
Categorias
  • Destino x Destino
  • Dvida do Viajante
  • Raio x dos Passeios
  • Roteiro Perfeito em
  • Dicas de Concierge
Brooklyn ou Queens?
jun/17
02
Compartilhe
  • Enviar para um Amigo
  • Imprimir
Os grafites de Williamsburg, o pedaço mais hipster do Brooklyn

Os grafites de Williamsburg, o pedaço mais hipster do Brooklyn

Nova York vive plugada em alta voltagem, renovando-se constantemente e ditando tendência. Tendo a diversidade como uma de suas principais bandeiras, a metrópole concentra vários destinos em um lugar só. Ela é dividida em cinco distritos (boroughs): Manhattan, Bronx, Staten Island, Queens e Brooklyn.

Do outro lado da ponte: além de Manhattan, vale explorar os outros boroughs de Nova York

Do outro lado da ponte: além de Manhattan, vale explorar os outros boroughs de Nova York

Passar de um bairro a outro é como ultrapassar uma fronteira invisível, que conduz a outro universo de personalidade única. Nos últimos anos, o Brooklyn, do outro lado do rio East, virou uma meca hipster e deixou definitivamente para trás a fama de região perigosa. Atualmente, é a vez do Queens passar por um processo de transformação semelhante, graças aos seus aluguéis mais baixos e à diversidade cultural, que vêm atraindo moradores jovens e criativos. Descubra qual deles tem mais a ver com você:

Cada um na sua

Os prédios de tijolos aparentes são a marca registrada do Brooklyn, bairro mais populoso da cidade (que já foi cenário de muitos filmes famosos). Moderninho e transpirando criatividade, é o preferido de artistas, intelectuais e, claro, hipsters. A poucos minutos do centro de Manhattan de metrô, ainda mantém o jeitão residencial em grande parte de seu território, ao passo que restaurantes originais e lojinhas interessantes vão surgindo em cada esquina.

Vizinho ao Brooklyn, a leste de Manhattan, o Queens é o maior distrito de Nova York em área (não à toa, abriga dois aeroportos, o JFK e o LaGuardia). Boa parte dos seus morados são estrangeiros – e muitos deles se comportam como se nunca tivessem saído dos seus respectivos países de origem, cultivando tradições gastronômicas, forma de vestir, religião e muitos outros aspectos culturais. Dizem que, por suas ruas, é possível ouvir mais de 100 idiomas. Por essas e outras, o Queens é sinônimo de diversidade.

Domingo nos parques

Unisphere, o cartão postal do Flushing Meadows-Corona Park, no Queens

Unisphere, o cartão postal do Flushing Meadows-Corona Park, no Queens

Quem vai ao Brooklyn com o intuito de fazer caminhadas ao ar livre pode correr para o Bridge Park ou para o Prospect Park. O primeiro, à beira do East River, é o mais procurado pelos turistas, graças à vista privilegiada do skyline de Manhattan. Já o Prospect Park, que se gaba de ter sido projetado pelos mesmos arquitetos do Central Park, dispõe de muito espaço para corridas, passeios de bike e piqueniques. Nas noites de verão acontece o Twilight Tour, passeio de barco pelos canais do parque.

O Queens guarda o quarto maior parque americano, o Flushing Meadows-Corona Park, onde, todo mês de setembro, acontece o campeonato de tênis US Open. Seu cartão-postal é a Unisphere, monumento feito de aço em forma de um gigantesco globo terrestre.

Uma tarde nos museus

Próximo ao Prospect Park, o Brooklin Museum impressiona de imediato, com seu imponente edifício de mais de 50 mil m², e continua causando admiração pelo acervo histórico com milhares de objetos valiosos –de relíquias do Egito Antigo a obras de arte contemporânea.

O Queens concentra mais museus, e três deles são os queridinhos do momento. O primeiro é o MoMA PS1, focado na arte contemporânea e com espaço aberto para novos artistas. O outro é o Museum of the Moving Image, que tem acervo dedicado ao universo da TV e do cinema. E o último é um templo para os fãs de jazz: a casa onde viveu o cantor e trompetista Louis Armstrong.

Direto ao ponto

O oriente mora em Flushing, no Queens

O oriente mora em Flushing, no Queens

Williamsburg é a parte mais efervescente do Brooklyn. Os grafites estão espalhados por todos os cantos e, de dia ou de noite, restaurantes, bares e cafés ficam cheios de vida. Lojinhas, brechós, livrarias e todo tipo de comércio são uma mina de achados. E também há feirinhas de rua irresistíveis, como a gastronômica Smorgasburg, com comidinhas que vão de frutas a pratos elaborados.

Flushing é a Chinatown do Queens. A comunidade oriental de Nova York se instalou na região e transpôs para lá sua cultura e modo de viver. Os restaurantes oferecem a autêntica comida chinesa, sem americanismos. Nas lojas, cartazes no alfabeto coreano divulgam seus produtos para clientes curiosos: uma imensa oferta que vai de roupas a cosméticos, de gadgets a tradicionais ervas medicinais. Bem-vindo à vitrine do mundo!

Consulte seu agente de viagens e peça pelos pacotes da MMTGapnet.
Comentários Facebook
Comentários Wordpress

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com